No meio do caminho tinha uma letra, tinha uma letra no meio do caminho 2 – Naturalmente grunge

Tinha uma letra no meio do caminho 2 - Naturalmente grunge

Não seria minha intenção agrupar num post da série “No meio do caminho tinha uma letra” alguma categoria dos textos curiosos que encontrava por aí. Acontece que esses tempos encontrei tanta coisa com esse visual grunge e feito pela ação do tempo que vi muita beleza junta e, finalmente, reuni 10 exemplos dessa estética visual bem típica dos anos 1980 e 90, a sujeira, a corrosão e mais um monte de coisas que os modistas do design ficam se matando pra fazer no Photoshop, sem ter especificamente uma função no contexto da peça. Aqui a coisa simplesmente aconteceu – e continua acontecendo. Se passear atento na região central da cidade de São Paulo pode se deparar com algum desses.

Tinha uma letra no meio do caminho 2 - Naturalmente grunge

Tinha uma letra no meio do caminho 2 - Naturalmente grunge

Tinha uma letra no meio do caminho 2 - Naturalmente grunge

Tinha uma letra no meio do caminho 2 - Naturalmente grunge

Tinha uma letra no meio do caminho 2 - Naturalmente grunge

Tinha uma letra no meio do caminho 2 - Naturalmente grunge

Tinha uma letra no meio do caminho 2 - Naturalmente grunge

Tinha uma letra no meio do caminho 2 - Naturalmente grunge

Tinha uma letra no meio do caminho 2 - Naturalmente grunge

Veja também o No meio do caminho tinha uma letra 1

No meio do caminho tinha uma letra, tinha uma letra no meio do caminho

Escrita ou não numa pedra
tinha uma letra no meio do caminho (…)

E me desculpem, não escrevia poesia nem na quinta série do ensino fundamental, quando valia nota.

Tinha uma letra no meio do caminho, no meio do caminho tinha uma letra
Tinha uma letra no meio do caminho, no meio do caminho tinha uma letra
Tinha uma letra no meio do caminho, no meio do caminho tinha uma letra
Tinha uma letra no meio do caminho, no meio do caminho tinha uma letra
Tinha uma letra no meio do caminho, no meio do caminho tinha uma letra
Tinha uma letra no meio do caminho, no meio do caminho tinha uma letra
Tinha uma letra no meio do caminho, no meio do caminho tinha uma letra
Tinha uma letra no meio do caminho, no meio do caminho tinha uma letra
Tinha uma letra no meio do caminho, no meio do caminho tinha uma letra
Tinha uma letra no meio do caminho, no meio do caminho tinha uma letra
Tinha uma letra no meio do caminho, no meio do caminho tinha uma letra
Tinha uma letra no meio do caminho, no meio do caminho tinha uma letra
Tinha uma letra no meio do caminho, no meio do caminho tinha uma letra
Tinha uma letra no meio do caminho, no meio do caminho tinha uma letra
Tinha uma letra no meio do caminho, no meio do caminho tinha uma letra
Tinha uma letra no meio do caminho, no meio do caminho tinha uma letra
Tinha uma letra no meio do caminho, no meio do caminho tinha uma letra
Tinha uma letra no meio do caminho, no meio do caminho tinha uma letra
Tinha uma letra no meio do caminho, no meio do caminho tinha uma letra
Tinha uma letra no meio do caminho, no meio do caminho tinha uma letra

A ideia aqui foi documentar as letras com as quais me deparo no meu cotidiano. A maior parte das fotos foram tiradas despretenciosamente com a câmera do iPhone 4S. Letras bem desenhadas ou não, formas boas, ruins, estranhas, clássicas, não importa. Em algum momento elas me tocaram, noutro eu as toquei, as avistei num canto quase perdido no meio das cidades. E aos poucos essa lista de imagens cresce.

Já temos o No meio do caminho tinha uma letra 2 – Naturalmente grunge

Eu o convido a fazer fotos das letras que se depara durante uns dias, publicar em algum serviço de foto e dividir com todos nos comentários. Topa?
😉