Arquivo da tag: Claudio Ferlauto

O Efêmero e o Paródico – Claudio Ferlauto

O Efêmero e o Paródico, de Claudio Ferlauto

Assim como quase todos os outros livros da Coleção textosdesign, essa publicação também reúne artigos de design que foram veiculados em revistas, sites e jornais. Mas eu achei que nesse, especificamente, dá pra notar um tom um pouco mais pessoal do autor.

O Efêmero e o Paródico, de Claudio Ferlauto, rostoClaudio Ferlauto fala da importãncia de um designer escrever sobre design, passeia por tipografia, produto, história do design dando pinceladas certeiras de assuntos inusitados, daqueles que sentimos vontade (eu, pelo menos, sinto) de pesquisar mais a respeito, comparar, estudar. E também fala de designers que, da mesma forma, vale a pena aprofundar mais em suas histórias, opiniões e obras/portfolio. Só que junto de tudo eu percebo uma peculiaridade maior do que o usua: Ferlauto mostra, entre um capítulo e outro, diversos sketches despretensiosos que dez em seus cadernos de notas. Dá pra ver que durante a espera de vôos ele tinha tempo pra se divertir com lápis e papel.  Aliás, lendo o livro e vendo as ilustras, me lembrei que quando tinha aulas com o Ferlauto na faculdade, ele sempre comentava com os alunos pra produzirem em seus cadernos de notas e sempre tinha um ou outro que falava “ele pede, pede, mas duvido que faça um também, já que é tão importante…” ou algo similar. Ele faz, sim! Toma essa!

O veterano do design mostra também cartazes que ele criou para informar os alunos da Universidade Anhembi Morumbi sobre os trabalhos de design, conta a história do Pato Macho (um jornal gaúcho que junto dele e uma equipe invejável que, além do Ferlauto, tinha até Luis Fernando Veríssimo), uma entrevista que ele deu pra Hugo Kovladoff. E tem Claudio Rocha, e tem Tony de Marco. Muita coisa boa, olha só o sumário:

Meia ideia e agradecimentos

Ler e escrever
Escrever sobre design
O design em formação

Tipografia
Sem conhecer o passado não dá
Tipografia e grade/grid
Arial: feia, bastante feia

Projetos tipográficos
Cartazes

Design de produtos
Petzold e Bornancini
O  design brasileiro no museu

Efêmero e paródico
O efêmero e o perene
O efêmero e o paródico
Luxo

Outras palavras
Tony de Marco
Hibridismo trangênico
Ler livros e ler na internet
Tipos segundo Claudio Rocha
Festa de 15 anos

Passado e presente
Pato Macho, um jornal gaúcho
tipoGráfica: entrevista à Hugo Kovladoff

Minha proposta de bate-papo pra esse post seria contemplar o título todo, mas como tenho visto o “paródico”  numa quantidade imensurável por aí, fico só com a proposta do “efêmero”. Aí vai:
O que podemos definir atualmente como passageiro ou transitório no cenário atual do design?

Não tenha piedade do box de comentário. Digita mesmo, sem dó! :)

B de Bodoni – Claudio Ferlauto

B de Bodoni, de Claudio Ferlauto, Edições Rosari

Mais um livro da coleção “Qual é o seu tipo” das Edições Rosari. Aliás, um belo livro. Fininho, rápido e gostoso de ler, e com preço acompanha sua dimensão física: é bem baratinho, entre 10 e 20 reais.

Nessa publicação, Cláudio Ferlauto dá um breve contexto histórico, passa pela Coluna de Trajan, pelas solicitações de Carlos Magno (742-814), fala de Didot, da Baskerville, Walter Gropius…  detalha, explica, comenta aplicações desses famosos tipos, como no Manuale Tipografico, de Giambattista Bodoni. Tudo bem ilustrado, como nessa página que tem os “A” maiúsculos da Bodoni, Baskerville, Garamond e uma manuscrita feita com pincel chato.

Exemplo de interna do livro B de Bodoni, de Claudio Ferlauto, Edições Rosari

Outra parte bem bacana e curiosa são as comparações das diversas versões da Bodoni, que até podem parecer sutis, mas em algumas letras é bem perceptível, como no “R” maiúsculo e suas terminações em “gota” ou não. E qual seria a Bodoni mais fiel de todas? No livro tem, também :)

Na mesma linha desse livro tem também o Tipografia Comparada, do designer e tipógrafo Claudio Rocha.

E você, gosta da Bodoni? A utiliza em seus projetos?