Design Shot! #7 – Design e diversão

“O design é divertido e funcional. Utilize-o para anunciar um bazar no quintal de casa, convidar pessoas para uma festa ou dar nome à sua banda. Ponha sua marca em camisetas, ímãs, pulseiras, bolsas e capas de livros. Compartilhe seus produtos com parentes e amigos. Ao invés de comprar ou usar as marcas que você encontra nas lojas, crie a sua própria, por meio da arte do design” – Ellen Lupton e Julia Lupton, no livro Eu Que Fiz, da Cosac Naify.

10 comentários sobre “Design Shot! #7 – Design e diversão

  1. Basicamente a Ellen Lupton prega que o design é pra todos, que qualquer pessoa pode fazer e se divertir com ele. Você concorda?

  2. Apoiado!

    Qualquer pessoa pode sim imprimir “sua cara” nas suas coisas. Infelizmente, somos “educados” de uma forma que não estimula essa criatividade.

    Talvez as coisas estejam mudando, com o crescimento da gama de produtos customizáveis… o “DIY” norte-americano é um excelente estímulo.

  3. Ellen, ao meu ver não quis passar a impressão de que qualquer um pode ser um profissional em design – isso depende de muito estudo – mais sim estimular de alguma forma o convívio das pessoas com o design, educando-as como em uma escola onde nem todos viram professores.

    Indico a leitura de: Sintaxe Visual de Donis A. Dondis

    Neste livro ela fala sobre alfabetismo visual o que tem muito haver com o que Ellen fala.

    Abraço a todos.

  4. Eu já comecei! Resolvi rabiscar um robozinho que ganhei e não é que gostei do resultado?

    Brincar de ser designer faz super bem! Recomendo.

  5. Eu concordo! Acho que todo mundo vira designer pelo menos uma vez durante a vida
    As pessoas gostam do que é belo, prático e de preferência barato. Só que tem pessoas extremamente talentosas para representar suas idéias graficamente para depois materializá-las . .

  6. De médico , designer e louco todo mundo tem um pouco?
    Compreendo que todas as pessoas devem ser estimuladas a serem criativas, gosto da frase do Karim Hashid “faça um ato criativo por dia”! É saudável criar arte e design, até como terapia, porém acredito que ela fala pela experiência em seu país, onde as artes são bem estimuladas em todos os anos de ensino, as pessoas acabam tendo boas noções e técnicas de arte e design. Já no Brasil sempre se questiona a real necessidade do ensino de artes nas escolas. Aqui é difícil até explicar o que é design. Existe uma “trava artística” na maioria das pessoas. Mesmo assim, apesar da falta de técnica e conhecimento, o brasileiro é criativo, tanto que cria suas próprias placas que inspiram fontes, que usamos em vários trabalhos.
    Claro que para ser profissional como designer, requer estudo, aprendizado diário, paixão e talento como toda profissão, de médico a louco…

  7. As boas aulas de artes, principalmente no ensino fundamental, facilitam a compreensão e o aprendizado do design. Algumas teorias e técnicas são semelhantes para arte e design. Estudar cores, papel quadriculado para formar letras…e tantas outras técnicas que aprendemos na escola. Compreendo que um indivíduo com boa base da matéria de educação artística, pode fazer o que a Ellen Lupton propõe, pois já trabalhou mais sua criatividade e conhece mais técnicas que sirvam ao propósito.

    O trabalho do artista plástico é diferente do trabalho do designer.

    A arte é uma fonte inesgotável de inspiração para o design e ajuda em qualquer outra profissão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>